Tratamento Profilático

24 Sep 2016

Após o corte, as toras estão sujeitas ao ataque de insetos e fungos. As diversas espécies de madeira apresentam resistências variáveis aos fungos e insetos em função, por exemplo, da estação do ano. Uma casca levantada ou ferida no curso das operações florestais deixa brechas por onde podem entrar esses agentes xilófagos.

A exploração florestal pode combater eficazmente os ataques de insetos e fungos, ao tomar medidas preventivas como: higiene geral dos canteiros e pátios de armazenagem, retirada rápida da madeira do meio infestado, que pode ser até a própria floresta, passando pelo tratamento profilático. Para espécies menos resistentes, o tratamento químico com produto eficaz é o único processo capaz de garantir a sanidade das toras. Por sua vez, quando uma tora é serrada ou desenrolada, a madeira ainda está verde, acima do ponto de saturação das fibras e ainda suscetível ao ataque de fungos e insetos. Sendo assim, a madeira necessita de um tratamento temporário até que ela passe por secagem ao ar livre ou em estufa e, finalmente, pelo processamento industrial definitivo.

No caso das toras, pelas dimensões das peças, o único processo de tratamento possível é por aspersão de toda a superfície lateral e topo. No caso de madeira desdobrada ou desenrolada, além da aspersão simples, pode-se usar processos de imersão com diferentes graus de automação ou aspersão em túneis de esteiras.

blog comments powered by Disqus